Renato Russo é homenageado em exposição exclusiva no MIS

Renato Russo é uns dos grandes ícones da música brasileira, junto com o Legião Urbana marcou uma geração  e continua mesmo depois de mais de 20 anos de sua morte influenciando um público que se identifica com suas letras sempre tão atuais, o Museu da Imagem do Som – MIS está  oferecendo uma oportunidade única para os fãs de conhecer sua vida e obra na Exposição Renato Russo, que pode ser visitada até 28 de janeiro de 2018.

Exposição Renato Russo a maior concebida pelo Museu de Imagem e Som 

Essa é a quarta exposição que é concebida totalmente pelo Museu da Imagem e Som, sendo a maior delas, conta com curadoria de André Sturm, ex-diretor do MIS, que foi procurado pelo filho do Renato Russo, Giuliano Manfredini, que após visitar a Exposição do David Bowie no próprio museu, mostrou interesse em realizar algo semelhante com os acervo pessoal  do cantor, que estavam desde a sua morte intocados no seu apartamento no bairro do Leblon no Rio de Janeiro, onde viveu de 1990 a 1996, no total  mais de 3.000 itens passaram por revitalização e catalogação, desde março de 2015.

Acervo permite experiência imersiva na vida e obra do Renato Russo

A exposição conta com uma acervo que mostra toda a biografia de Renato Manfredini Júnior, desde sua infância, com documentos como a cópia da certidão de nascimento e de batismo, boletins escolares, cadernos de exercícios, desenhos, prêmios, peças escolares e muitas fotos com a família, colegas de escola e professores. Seu currículo, redações da faculdade, rascunhos de matérias e cartas de ouvintes na sua época de radialista também estão presentes na exposição.

Rascunhos de letras da “Geração Coca-Cola”, “Que País é Este” e “Química, cartazes de shows, projetos da banda mostram os seus primeiros passos musicais no Aborto Elétrico, com um Renato metódico, organizado, perfeccionista e repleto de ideias.  Após sair do Aborto Elétrico, Renato Russo fazia shows solos como o “Trovador Solitário” até iniciar o Legião Urbana.

Peças do vestuário, figurinos de shows, pinturas, coleções de cadernos e cartas de tarô são só alguns do inúmeros itens em exposição que fazem parte do acervo que o público pode está conferindo, cada um deles expressam uma faceta única desse ícone e faz com que os fãs vejam além do cantor o compositor e conheçam o pintor, dramaturgo, roteirista, poeta e colecionador de caráter multifacetado.

Apartamento do Renato Russo entre e explore

Alguns objetos trazidos do apartamento do Renato Russo no Rio de Janeiro, levam o público a descobrir seus gostos peculiares como a sua coleção de anjos, quadros com reproduções, colagens de revistas e cartazes de filmes, já alguns ambientes da exposição criam o próprio cômodo do apartamento, como o quarto com móveis trazidos exclusivamente pra exposição. O público ainda pode explorar o apartamento do cantor com óculos de realidade virtual na experiência “Renato Russo 360º” em um clipe realizado no apartamento do cantor.

Superdose de legião Urbana

O Legião Urbana representa grande parte da exposição, então se prepare pra se perder entre os vários discos de platina, instrumentos musicais, fotos, cartazes, recortes de jornais, álbuns em vinil e vídeos que passam por toda a trajetória da banda. No total Renato Russo junto com Legião Urbana lançou 7 discos de estúdio até 1996 e três discos solos, as vendas do Legião Urbana superam a marca de 20 milhões de cópias, sendo umas das maiores vendagens da EMI do mundo.

A formação oficial da banda é formada por Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, passaram pela banda Eduardo Paraná, Paulo Paulista, Ico – Ouro-Preto e Renato Rocha que ficou no Legião Urbana até 1989 e junto com Renato compôs, “Quase sem Querer” e “Daniel na Cova dos Leões”.

Rascunhos de grandes sucessos

Renato Russo guardava toda a sua coleção de cadernos, isso permitiu a exposição trazer rascunhos de grandes sucesso da banda no início do seu processo criativo, você vai encontra entre os rascunhos as letras de “Tempo Perdido”, “Indíos”, “Meninos e Meninas”, “Há Tempos”, “Pais e Filhos”, “Monte Castelo”, “Perfeição”, “Vento no Litoral” entre outras.

Algumas letras como a do “Faroeste Caboclo” e “Eduardo e Mônica” é possível ver estrofes que não foram adicionados a música final, a maioria dos rascunhos iniciais estão manuscritos, sendo datilografados quando já estavam finalizados, é uns dos itens mais emocionantes da exposição caso for um fã da banda, visualizar como umas das suas musíca preferidas começaram a tomar forma é um sentimento sem igual.

Espaços expositivos para dar atenção redobrada

O Museu de Imagem e Som se destaca na montagem de suas exposições e com a Exposição Renato Russo não é diferente, logo na entrada o visitante é recebido por uma sala com paredes repleta de pôsteres de bandas como Beatles, Rolling Stones, The Smith, Ramones, Velvet Underground, The Clash, Joy Division e outras bandas que influenciaram Renato Russo, a sala é marcada com letreiros de neon, com trechos de “Que Pais é Este”.

A sala espelhada do chão ao teto é outro destaque, nela estão em exibição discos da coleção do Renato Russo, livros e revistas, na entrada da sala ainda estão o toca disco do cantor, uma passagem da exposição que leva ao andar superior está coberta de cartas de fãs nas paredes e teto.

Trilha Sonora

O Museu de Imagem e Som preparou três playlist no seu perfil do Spotify, “Renato Russo no MIS” com conteúdo exclusivo sobre a vida e obra do Renato, “Ainda é Cedo”, com a as músicas preferida do museu e “Pai e Filho” com as preferidas do filho do Renato Russo, Giuliano Manfredini, o Spotify ainda oferece wi-fi gratuito durante toda a exposição. Durante a visita ainda é tocado os principais sucessos do Legião Urbana

Renato Russo e sua obra sempre resplandecente

Em 2016 completou 20 anos da morte do Renato Russo, que faleceu jovem aos 36 anos, sua participação efervente no rock brasileiros dos anos 80/90 resplandece até hoje, mesmo pra aqueles que nasceram depois que a banda se foi. Renato sempre falava do tempo em suas músicas, “Todos temos nosso próprio tempo”, “Sempre em frente não temos tempo a perder”, “É só o tempo lá fora”, “Vamos dar um tempo um dia a gente se ver”, “Até bem pouco tempo atrás poderiam mudar o mundo” suas músicas tratam de diversos tempos e elas mantêm o Renato Russo sempre vivo em todas elas. 

Ingressos

Os ingressos para a Exposição Renato Russo são vendidos com horário marcado, de uma em uma hora,  podem ser comprados pelo site da Ingresso Rápido no valor de R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) ou na bilheteria do MIS no valor de R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia), nas terças a entrada é gratuita e crianças de até 05 anos não pagam, os ingressos na bilheteria começam a ser vendidos 30 minutos antes da visitação, com disponibilidade limitada por horário.

Funcionamento

A exposição funciona de terça à sábado das 10h às 21h e domingos e feriados das 09 às 19h, com permanência até uma hora após o último horário, a experiência “Renato Russo 360º” também se encerra uma hora após a última sessão.

Descontos Cabify

Você pode usar o Cabify pra chegar no MIS, com o código  RENATONOMIS você têm desconto de 20% off na corrida que se encerrarem ou começarem no museu, com desconto máximo de R$ 10, se você ainda não é usuário do Cabify utilize  DEISYR8 e ganhe R$ 7 reais na primeira corrida. O Museu da Imagem e do Som está localizado na Avenida Europa 158.


A exposição fica em cartaz até o dia 28 de janeiro de 2018


 ♦ Procurando Hospedagem? Faça sua reserva pelo Booking ♦

♦ Contrate seguro viagem com desconto na Seguros Promo 

♦ Procurando aluguel de carro? Alugue com a RentCars 

♦ Ganhe até R$ 100 na sua primeira hospedagem no Airnbb ♦

♦ Ganhe R$ 7 na sua primeira corrida com a Cabify com o código DEISYR8 ♦


Exposição do ‘Nirvana: Taking Punk to the Masses’ em São Paulo

Confira 12 Hostels Temáticos em São Paulo


 

Deisy Rodrigues

Viajante compulsiva, devoradora de livros, aspirante a cozinheira nas horas vagas e fotógrafa amadora, uniu umas das suas maiores paixões que é a cidade de São Paulo para reunir seu lado criativo, curioso e explorador e apresentar o que existe de melhor na paulicéia desvairada, mas sem deixar de lado outros destinos por onde passa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *