Conheça o Lado Argentino das Cataratas do Iguaçu

É comum algumas pessoas viajaram pra Foz do Iguaçu, visitar as Cataratas do Iguaçu do lado brasileiro e deixar o lado argentino pra escanteio, partindo pra fazer compras no Paraguai, tudo bem que chegar nas Cataratas Argentinas não é tão prático, mas convenhamos se está na chuva ou nas quedas é pra se molhar, a experiência das Cataratas Iguaçu só é completa quando os dois lados é visto e contemplado.

A visita no Parque Nacional do Iguaçu no Brasil e no Parque Nacional Iguazú na Argentina onde se encontram as Cataratas do Iguaçu são diferentes em vários sentidos, pode se disser que as Cataratas Brasileiras é a irmã cheia de classe e as Cataratas Argentinas aquela com espírito aventureiro, mas apesar das diferenças as duas são de uma beleza imensa e inquestionável.

Diferente de Foz do Iguaçu que sofreu uma explosão demográfica com a construção da Itaipu Binacional, Puerto Iguazú localizada na província de Missiones na Argentina, apenas 18 km de Foz de Iguaçu, manteve suas características de cidade pequena que têm como principal atrativo o Parque Nacional do Iguazú. O parque foi inaugurado em 9 de outubro de 1984  e possui mais 67.000 hectares com 275 saltos de água em plena selva.

Já falei sobre a visita no Parque Nacional do Iguaçu no Brasil, se ainda não conferiu acesse aqui e tire suas dúvidas, agora pra saber sobre as Cataratas Argentinas continue por aqui.

Parque Nacional Iguazú – Cataratas Argentina

Como ir de Foz do Iguaçu até o Parque Nacional Iguazú?

Existe mais de uma maneira de chegar até o Parque Nacional Iguazú saindo de Foz de Iguaçu, umas delas é de ônibus, a opção mais econômica, contudo a mais cansativa e burocrática de todas. No total são dois ônibus pra ir e dois pra voltar, o primeiro você pega próximo ao Terminal de Transporte Urbano (TTU), em um ponto com descrição de Linhas Internacionais na Avenida Juscelino Kubitschek a esquerda, ele vai tá com a placa indicativa de Argentina – Puerto Iguazú. O valor da passagem é de R$ 5,00 (julho/2017) e pode ser pago tanto em real, como peso argentino e guarani.

Rentcars é o principal site de comparação de preços de aluguel de carros na América latina, estando presente em mais de 100 países. Fazendo sua reserva por esse link, você ajuda a manter o site e não paga nada mais por isso. 

A parte burocrática de ir de ônibus é que passa por duas aduanas, a brasileira e argentina, os brasileiros descem apenas na argentina e precisam passar pela imigração, passando bolsas pelo raio-x e mostrando a identidade. Pra pegar o outro ônibus você vai descer na rodoviária e comprar passagem no guichê 23 da empresa Rio Uruguay, no valor de 100 pesos (R$19,00), é possível comprar o bilhete da ida e da volta, o ônibus para em frente ao Parque Nacional do Iguazú.

O trajeto de ônibus pra quem deseja economizar é uma ótima alternativa, contudo como visitar as principais atrações de Foz de Iguaçu e até mesmo ir pro Paraguai de ônibus, é bem mais tranquilo que ir pra Puerto Iguazú, vale economizar nesses passeios usando o transporte coletivo e se for realmente pra investir em um transfer, que seja no das Cataratas do Iguaçu do lado Argentino. Foi o único passeio que contratei uma agência e valeu a pena, consegui chegar no parque assim que abriu e completar todo o circuito.

Também é possível alugar um carro ou pedir um táxi, lembrando que indo de carro ou transfer é necessário pagar um imposto municipal de 20 pesos argentinos ou 5 reais, que eles cobram  durante a imigração.

Como comprar os ingressos e qual o valor?

Não é possível comprar o ingresso antecipadamente para o Parque Nacional do Iguazú, ele deve ser comprado no dia em pesos argentinos, não é aceito outra moeda e cartão de crédito, dentro do parque o dinheiro aceito também é só peso argentino. Adultos do Mercosul pagam 400 pesos argentinos (R$ 76,00) e crianças do Mercosul de 6 a 12 anos pagam 100 pesos argentinos (R$ 19,00), esses são valores de julho de 2017. Troque o dinheiro antes de chegar na bilheteria já que lá não têm casa de câmbio em nenhum local próximo.

Se quiser fazer uma visita ao Parque Nacional do Iguazú no outro dia que visitou, você paga a metade do valor do ingresso, é só validar o ticket na bilheteria e obter o desconto de 50 %, mas apenas pra visitas consecutivas.

Qual o horário de  funcionamento?

O Parque Nacional do Iguazú abre todos os dias 08h30, podendo entrar no parque até as 16h30 e permanecer dentro dele até as 18h00.

Visitando as Cataratas do Lado Argentino

O Parque Nacional do Iguazú, têm uma estrutura e uma proposta diferente da visita do Parque Nacional do Iguaçu, o lado brasileiro é mais moderno e prático, em vez de um ônibus panorâmico com ar condicionado, na Argentina você vai chegar na Garganta do Diabo por um trem, que se chama Tren de La Selva e penetra na selva literalmente, as trilhas são realizadas por passarelas suspensas com a natureza ao redor, com vista de tirar o fôlego, caminha e explora muito mais que o lado brasileiro, por isso use sapatos e roupas confortáveis, leve água e se aventure.

Os valores são ainda mais caros que no lado brasileiro, se quiser economizar leve água e lanche, deixando pra comprar lembrancinha no Brasil, lembrando que só é aceito peso argentino dentro do parque e não é permitido oferecer comida para os quatis que habitam o parque, certeza que você vai encontrar um passeando por lá.

Está procurando hospedagem para a sua viagem? Fazendo  sua reserva pelo Booking por esse link, você não paga nada mais por isso e ajuda a manter o site sempre atualizado com as melhores dicas pra você. 

As três principais trilhas são a da Garganta del Diablo, Circuito Superior, Circuito InferiorSendero Macuco e Salto Arrechea, esse dois últimos é mais procurado caso for realizar a Aventura Naútica que é o passeio pago parecido com o Macuco Safari do lado brasileiro, a Isla São Martin não está incluída no ingresso. Nem todo mundo completa o circuito todo, seja por falta de tempo ou disposição, mas tanto a Garganta do Diabo, como o Circuito Inferior e Superior apresenta uma visão única das Cataratas.

Garganta do Diabo  – Média de 02h00 pra visitação

Pra chegar na Garganta do Diabo é preciso pegar o Tren de La Selva e depois fazer uma trilha em pontes suspensas sobre a água, essa trilha é curta,  têm aproximadamente 2 km, contando ida e volta, mas o que dificulta é o trajeto do trem, se o parque tiver lotado ou em alta temporada pode gerar fila e demora, pois ninguém quer ir embora sem ver a Garganta do Diabo.

Eu peguei o primeiro trem que saiu da Estação Central e não tive problema, de relatos de pessoas que já visitaram o lado argentino e da minha experiência, a dica é chegue cedo e já corra pra pegar trem pra Garganta do Diabo ou faça os outros circuitos e deixe o mais concorrido pro final.

Assim que a trilha vai chegando ao fim, já é possível de longe ver a fumaça de spray de água causada pela força da queda, mas isso é apenas um aperitivo do que você vai deslumbrar ao se aproximar da parte mais volumoso, intensa e monumental das Cataratas do Iguaçu, somente tendo a visão ao vivo é possível entender a grandiosidade dos 80 metros dessa muralha de água.

O ponto de observação permite uma vista debruçado sobre a queda, mas devido a sua força é quase impossível enxergar o final. Essa vista surpreendente só é possível do lado Argentino por isso visitar os dois lados é tão importante.

Circuito Superior – Média de  01h30 pra visitação

O Circuito Superior possui passarelas suspensas permite uma vista de cima das Cataratas do Iguaçu, se você está vindo da Garganta do Diabo é só descer na Estação Cataratas e já está do lado da entrada da trilha pro circuito, nesse trajeto são vários saltos para observar, se inicia no Saltos das Hermanas e passa pelo Salto  Chico, Ramirez, Bosseti, Adany y Eva Bernabé Méndez com primeira parada no Salto Mbiguá. Depois de cruzar passarelas pelo Rio Iguaçu se chega no principal salto desse circuito o San Martin, que possui a visão mais panorâmica das Cataratas Argentinas.

No Circuito Superior é possível visualizar o Hotel das Cataratas do lado Brasileiro e também o Espaço Naipi do Parque Nacional do Iguaçu onde se encontra o mirante de observação, outra visão interessante desse circuito é a Isla San Martin. São 700 metros de passarela de suspensas nesse circuito, o trajeto é um pouco maior que o da Garganta do Diabo mas menor que o Circuito Inferior.

Seguros Promos oferece os melhores e mais completos planos de seguro viagem da internet, acessando por esse link você garante descontos exclusivo em qualquer comprar de seguro viagem  pra qualquer lugar do mundo. 

Circuito Inferior –  Média de  01h30 a 2h00 pra visitação

No Circuito Inferior se chega perto dos saltos que se observa no inicio do Circuito Superior, o Saltos das Hermanas e o Salto Chico, só que agora com sua visão inferior, o Salto Bosseti é os mais emocionante do Circuito Inferior, a passarela quase entra no meio da queda, sendo quase impossível não se molhar mesmo de uma certa distância, esse é o salto em que o visitante mais se aproxima em todo o Parque Nacional do Iguazú.

A Isla San Martin pode ser acessada por um barco em uma parte do Circuito Inferior, esse trajeto é um pouco mais intenso já que envolve subida e têm 700 metros total, permite uma visão panorâmica da Garganta do Diabo e de alguns saltos do lado brasileiros das Cataratas, o circuito da Isla San Martin  é cobrado e depende das condições do Rio Iguaçu para funcionar.

Outros dois saltos do Circuito Inferior é o Salto Alvar Núnez e o Salto Lanusse, essa parte do circuito é a mais distante entre os saltos e contêm um número maior de escadas, permite uma visão próxima de uma passarela que atravessa a selva. O Circuito Inferior é circular, não repetindo nenhuma vista, você pode começar a visita no parque por ele ou finalizar nele. O inicio da trilha está a 300 metros da Estação Cataratas.

Atrações Especiais no Parque Nacional do Iguazú

Além da Isla San Martin e a versão Argentina do Macuco Safari, o Parque Nacional do Iguazú, oferece outras atrações pagas para os visitantes, entre elas estão  o passeio noturno Luna Llena que pode inclui jantar e o Expedicíon en La Selva que é um versão safári dentro do parque. Os preços e datas você encontra no site do Parque Nacional do Iguazú e diferente dos ingressos para visitação pode ser reservado com antecedência.

Cataratas do Iguaçu pra ser vista de todos os lados

Conhecer as Cataratas do lado Argentino e lado Brasileiro são duas visitas completamente diferentes, pessoalmente não escolho nenhum lado como mais bonito que o outro, cada um apresenta as Cataratas do Iguaçu com sua beleza em diferentes ângulos e se complementam, os dois parques têm ótima estrutura, o do Brasil é mais organizado e moderno. O lado argentino me pareceu mais lotado, até com mais presença de público nacional que o lado brasileiro, apesar de muitos gringos se encontra muitos argentinos no parque, principalmente com famílias  ou em grupos.

Pra visitar as Cataratas do Iguaçu o ideal é reservar um dia inteiro para cada lado das Cataratas, no lado brasileiro como o parque é mais fácil de chegar, têm um tamanho menor e menos quedas pra visitar, ainda é possível incluir o Parque das Aves no mesmo dia. Visite os dois lados das Cataratas do Iguaçu e se prepare para uma experiência completa e inesquecível.


Parque Nacional do Iguazú

Localização Rota 101 Km 142, 3370 Puerto Iguazú – Argentina. 

Funcionamento: Diariamente das 08h00 ás 18h00.

Sitehttp://www.iguazuargentina.com/

Deisy Rodrigues

Viajante compulsiva, devoradora de livros, aspirante a cozinheira nas horas vagas e fotógrafa amadora, uniu umas das suas maiores paixões que é a cidade de São Paulo para reunir seu lado criativo, curioso e explorador e apresentar o que existe de melhor na paulicéia desvairada, mas sem deixar de lado outros destinos por onde passa.

5 thoughts on “Conheça o Lado Argentino das Cataratas do Iguaçu

  1. Eu fui tanto no lado argentino quanto brasileiro, e achei o lado brasileiro melhor em estrutura, mas o lado argentino tem mesmo o melhor pedaço das cataratas, o mais impressionante.. Eu acho que esse crédito é mesmo dos hermanos. A gente vê de camarote, eles estão na área VIP, heheh Lindo post, deu saudade de Foz 🙂

  2. Dizem mesmo que o lado Argentino ainda mais incrível – pelas suas fotos eu fiquei de boca aberta! Mas engraçado que mesmo no lado brasileiro a maioria dos visitantes são estrangeiros. Como sempre, não damos muito valor para o que temos no país né?

  3. Cataratas são sempre uma boa pedida seja de qual lado for! E achei incrível a ideia de ir de ônibus e economizar uns trocados rs

  4. Confesso que sou do time que só visitou as Cataratas no lado brasileiro. kkkk Mas achei uma coisa de linda essa Garganta do Diabo! Quero voltar já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *